Mindsetting in progress...please, hold

          Já todos ouvimos aquelas tradicionais frases de Passagem de Ano: "Este ano vai ser diferente", "Este ano começo a dieta paleo e junto-me ao ProFit...5 vezes por semana e não tarda estarei em forma", "Este ano não vou deixar o estudo para a última...adeus, procrastinação, so long, Stressy McStressalot", "Não, agora ESTE ANO vou mudar de hábitos", "ESTE ANO vou ter mais nobres atitudes", "ESTE ANO vou ser feliz, grata, menos sarcástica, mais otimista e honesta...verdadeira reencarnação da Madre Teresa", "ESTE ANO, ESTE ANO, ESTE ANO..."
          Pois é, 99, 86 % das pessoas que dizem esta (perdoem o meu francês) Merda não passam das primeiras 72 horas sem acidentalmente violarem umas das suas regras arbitrárias e deitarem depois tudo a perder, porque seguem a doutrina do "Partiu? Sim. Tem Conserto? Tem. Vai Ser Fácil? Não. Então Compra Novo E Siga.".
          Eu já fui igual, ( e com isso quero dizer: sou igual mas estou a fazer por mudar)...também eu tenho as minhas resoluções e objetivos, também eu tenho algo por que lutar este ano, mas a diferença que noto agora é que os meus desejos são mais comedidos, as minhas vontades mais aguçadas, a minha esperança mais reduzida mas ainda lá na medida certa. Aos poucos estou a tornar-me numa pessoa mais terra-a-terra porque vejo com os meus próprios olhos que o mundo não é perfeito, mas que são as suas imperfeições que nos dão espaço para crescer e aprender com cada queda. Por isso, se por alguma razão me vir um pouco mais enrascada no estudo, prometo que não vou fritar a pipoca e entrar em curto circuito, se não resistir àquele sundae de chocolate com topping extra do Mc ao jantar, não vou deitar um dia de outro modo saudável ao lixo e desistir de um modo de vida balanceado, se não exercitar tanto quanto queria ou devia, não me olhar com vergonha ou amar menos o meu corpo por isso, se não gerir o meu tempo da melhor maneira ou não chegar bem onde queria ter chegado quando o queria ter feito, não começar a bater com a cabeça na parede e esperar o selo "um falhanço de épicas proporções" na testa. Haverá gente melhor que eu, mas tentarei reconhecer o ciúme e intelectualizá-lo até à sua submissão (em vez da minha), haverá pessoas a desejar deitar-me a baixo, mas lidarei com elas do mesmo modo que se lida com crianças (não sabem ainda o que fazem, mas ensinar-lhes-ei o caminho - profético, hã?), encontrarei indivíduos com prioridades bem definidas e futuros traçados, e daí tentarei tirar um exemplo e trabalhar nas minhas capacidades de tomada de decisão.
          Estou a construir um novo e melhor caminho para mim, um que é mais meu do que qualquer outro que até agora tomei para chegar onde cheguei...vou falhar, vai ruir, mas contrariamente ao que fiz até agora, não vou desesperar...vou pegar no que restar e reinventar-me, vou admitir que sou muito pouco decidida (e, por vezes, muito pouco coesa), mas encontrar no ato de deixar a porta aberta atrás de mim o conforto que preciso para tomar decisões que são agora tão necessárias na minha vida. Vou ser mais eu pelo simples facto de me permitir à mudança...por isso, termino dizendo apenas: "Seja bem vindo, Novo Capítulo! Já tardavas..."

Comentários

  1. Encontrarmos o nosso caminho é, realmente, um processo de aprendizagem e crescimento e, no fundo, é um objectivo que se vai concretizando, com várias metas, na medida em que o nosso caminho não tem fim. Vamos caindo muito, batendo com a cabeça, mas vamos ver muitos progressos, muita evolução e amadurecimento. E é bom pensarmos que nesse caminho,nunca estamos sozinhos: há sempre alguém lá, para nos dar a mão. Vai em frente. As melhores coisas estão sempre por chegar.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares